Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Quinta dos Prados
Apartado 1013 – Folhadela
5001 – 801 Vila Real
Tel: 259 350 167
Fax:259 325 058
reitoria@utad.pt
www.utad.pt

A Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) nasceu em março de 1986. Contudo, o seu historial remete para o início da década de setenta, num período de abertura governamental visando a correção das assimetrias regionais e que resultou na criação, em 1973, do Instituto Politécnico de Vila Real (IPVR), cujas primeiras aulas tiveram início em dezembro de 1975, com 40 alunos. Este Instituto, que nos seus primeiros tempos funcionou em diversos espaços físicos da cidade, acabou por fixar o grosso da sua atividade na atual Quinta de Prados, assumiu, desde logo, um papel relevante no desenvolvimento não só do seu distrito de origem mas de todo o Norte Interior de Portugal, abrindo rumos de crescimento que envolveram toda a sociedade civil. Esta dinâmica conduziu à sua elevação, em 1979, a Instituto Universitário de Trás-os-Montes e Alto Douro (IUTAD), e, menos de dez anos depois, em face do reconhecimento universal da sua intensa atividade dos domínios do ensino e da investigação científica e tecnológica, permitiu que o Governo elevasse a Instituição à categoria de Universidade.

Mensagem do reitor

A Universidade de Trás-os-Montes e no Alto Douro [UTAD] tem uma identidade com uma herança sólida e consistente, que perspetiva a expansão em relevância e reconhecimento, sem medos nem preconceitos, alinhada com o mundo e com o futuro. Vivemos tempos de mudanças aceleradas, com muita incerteza e adversidades à mistura, mas que oferecem caminhos de oportunidades e desenvolvimento.

A UTAD propõe-se a traçar o caminho para uma universidade sustentável e devidamente sustentada, aberta ao mundo e à mudança, responsável, inclusiva e integradora, através do crescimento participado e articulado com toda a Comunidade Académica e com o envolvimento da comunidade territorial. Atribuímos absoluta prioridade ao ensino de qualidade, em todos os ciclos e à investigação de excelência, de forma consistente, independentemente das incertezas e/ ou pressões das políticas nacionais. Mantemos uma cultura de exigência e rigor, de boas práticas, de avaliação interna e responsabilização, mas também de promoção do mérito. E isto a todos os níveis, da organização administrativa ao desempenho científico e pedagógico.

As universidades dos próximos tempos irão assumir sem medos as tarefas que as novas gerações e o planeta delas exigem, continuando, ainda assim, a serem os baluartes do conhecimento robusto e da democracia, da criatividade e da inovação.

Professor Doutor Emídio Gomes