Mensagem do Presidente

foto_presidente2

As políticas públicas de ensino superior e investigação no espaço europeu têm sido, nos últimos anos, conformadas aos constrangimentos das finanças públicas e privadas. As limitações que os países europeus viveram no período mais agudo da crise económica, e que ainda hoje experienciam, conduziram a um menor investimento público e privado na educação superior, reduziram os apoios à investigação e abrandaram o acesso ao ensino superior.

Acreditamos nos sinais que nos permitem olhar novamente em frente, convictos de que é pela aposta no conhecimento e pela elevação dos níveis educacionais da população, que as nossas sociedades ultrapassarão os desafios com que estão confrontadas e cumprirão os objetivos associados às opções estratégicas da União Europeia para a presente década.

Assim, as universidades assumem um papel central na requalificação da economia, tendo a capacidade instalada necessária para aumentar a percentagem de diplomados na população ativa (em especial, na faixa etária 30-34 anos, como determinado na Estratégia Europa 2020) e para potenciar a competitividade dos mais variados setores. Este objetivo é especialmente importante para Portugal, sendo irrecusável para as suas universidades públicas que têm vindo a afirmar-se nos contextos nacional e internacional.

De facto, as nossas universidades estão comprometidas com a construção do futuro, apostadas no reforço da sua capacidade de investigação e empenhadas numa interação efetiva com a sociedade, nomeadamente com o tecido económico-produtivo. O seu prestígio internacional tem vindo a ser evidenciado pela presença crescente em rankings de referência.

É com este espírito e determinação que as universidades deste Conselho pugnarão pelo estabelecimento de condições adequadas ao desenvolvimento da sua atividade, nomeadamente de estabilidade, de financiamento e de autonomia institucional. Um tal contexto afigura-se como essencial para que as universidades cumpram a sua missão educativa, gerem ainda maior impacto económico e contribuam para um crescimento sustentado e inteligente.

É nesse sentido que trabalham os reitores das universidades portuguesas.

 

António M. Cunha

Presidente do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas